Entrevista com Ana Luisa Kirchner Spier do grupo Yamavale.

Ana Luisa Kirchner Spier, do grupo gaúcho Yamavale Motos, foi criada no universo de duas rodas e assim herdou o amor por motocicleta. Atualmente, ela encara muitos passeios na região sul do Brasil, onde encontra cânions, cachoeiras e muita diversão. Na ed. 66ª da Revista Rede Yamaha News, ela conta suas histórias de aventura, adrenalina e muito contato com a natureza.


O seu amor por motocicletas é herança de família. Afinal, a dealer Ana Luísa Kirchner Spier, do grupo gaúcho Yamavale, foi criada no universo das duas rodas, perto das máquinas mais desejadas do mercado nacional. Atualmente, ela encara muitos passeios na região sul do Brasil, onde encontra cânions, cachoeiras e muita diversão. Nesta entrevista exclusiva, Ana Luísa conta as suas histórias. “Aventura, adrenalina e contato com a natureza: isso é tudo de bom”, afirma.



REDE YAMAHA NEWS: Ana, como começou a sua paixão por motocicletas?
ANA LUISA: Bom, eu nasci inserida no mundo duas rodas. Paulo Ricardo Kirchner, que é meu pai, começou com o negócio de motos antes de eu nascer, então minha infância toda eu o via envolvido neste mundo. Seria difícil eu não gostar também. Enfim, posso dizer que quase toda a família gosta de moto, e comigo não foi diferente.

Desde que idade você anda de moto?
Andei pela primeira vez quando tinha 15 anos, mas fui aprender mesmo quando tinha 18 (em 2009), nas pistas de motocross. Na época, corri o campeonato regional e algumas etapas do Gaúcho de Motocross. Fiquei por 2 anos competindo e, depois as prioridades foram mudando, acabei vendendo a moto (TTR-230) e fiquei um bom período sem andar. Em 2018, a paixão bateu na porta novamente e voltei a andar, desta vez nas ruas e recentemente comprei uma TTR-230.

 No seu Instagram vimos que você faz muitos passeios e viagens. Como funcionam as aventuras?
Para ser sincera não tive a oportunidade ainda de fazer viagens mais longas, mas é algo que quero muito e está nos planos. As aventuras acontecem aqui na região sul, que tem muito a ser explorada. Temos cânions, cachoeiras e muita mata na nossa serra gaúcha, tudo isso com vistas incríveis. Recentemente, comprei uma barraca e o próximo passo será acampar por aí viajando de moto.



Por que fazer trilha/viagens fascina tanto?
Os desafios do off-road me fascinam e juntar isso com lugares lindos se torna a combinação perfeita. Todos temos que ter um hobby, e para mim é este.

O que a moto proporciona em relação a aventura, adrenalina e o contato com a natureza?
Se não fossem os passeios de moto, muitas coisas incríveis que já vivenciei eu teria deixado de carregar na minha experiência de vida, o que seria uma pena. Incentivo muito qualquer pessoa que queira entrar neste mundo, principalmente, mulheres. Aventura, adrenalina e contato com a natureza: isso é tudo de bom.


Quais foram os passeios e viagens mais legais que você já realizou?
De cada passeio que já fiz guardo uma lembrança legal, mas os dois que mais me marcaram foram o da Adventour Brasil só de meninas e a minha primeira trilha com meu pai, tio e alguns amigos. Uma curiosidade: fiquei mais nervosa na trilha com o meu pai do que a das meninas… tanto que acabei passando mal e tive que voltar para casa (risos).


Você já realizou passeio só para mulheres?

Sim. O passeio só de mulheres foi uma trilha nas cidades de Gramado e Canela (RS), organizado por uma empresa local (Adventour Brasil), e contou com grandes nomes do esporte, como Maiara Basso, Barbara Neves, Líbera Costabeber, Ana Fietz, Janaína Todeschini, Vanessa Faria (Vans), Gaby Motocross, Paulla Demeneghi, Marcieli Machado e muitas outras meninas. No total, foram 20.

Foi emocionante andar junto com elas, poder trocar histórias e experiências. Sem contar a amizade que fica. Fiquei impressionada o quanto elas andam, passaram por trechos de Hard Enduro que muito homem não passa. Todas se ajudando, incentivando e apoiando. Foi uma experiência incrível. A Adventour está programando um próximo passeio de meninas para outubro deste ano.

A moto é o veículo perfeito para fazer amigos?
Sem dúvidas, sim. Quem está inserido no mundo das duas rodas sabe bem como é isso. Se você está na estrada e passa por um motociclista, dificilmente não se cumprimentam, mesmo sem você não ter ideia quem era aquela pessoa. Ou até mesmo naquela parada para descansar as pernas, se tem outra moto parada, o entrosamento acontece naturalmente. Neste tempo que ando, conheci muitas pessoas incríveis que só tive a oportunidade porque ando de moto. Sou muito grata por isso, e espero conhecer muita gente ainda!


Que modelo Yamaha você prefere usar?

Gosto da Crosser 150 para andar nos estradões, MT-03 nas ruas e a TTR-230 na trilha/motocross. Eu ainda não tenho muita experiência de pilotagem, mas estes modelos são os que atualmente se encaixam bem para mim.

Superar trilhas e obstáculos de moto, de alguma forma, ajuda no seu dia a dia profissional?
Inconscientemente ajuda sim! Pois a sensação de “KANDO” que sinto andando de moto me faz ter maior prazer pela vida, e assim motivação
para trabalhar.

compartilhar esse artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.